Ads (728x90)



       
       Vivemos em uma rotina frenética, onde muitas vezes temos a sensação que o tempo está contra nós, não é verdade?! Por isso, o carro ou a moto (ou os dois) se tornaram meios de transporte indispensáveis para a nossa vida. Então, você junta aquele dinheiro básico depois de algum tempo de muito esforço e economia e resolve comprar aquele veículo que vai ajudar a todos da sua família. Contudo, o valor não dá para comprar aquele novo dos sonhos, então, sua opção foi de comprar um usado?


      Você vai muito alegre e contente escolher aquele carro que será o transporte da sua vida por algum tempo, pesquisa e pesquisa e acaba comprando aquele que tem uma lataria mais conservada e é de seu gosto automotivo... Mas, o que era felicidade se transforma em um terror?! O carro mais dá problema e dor de cabeça do que ele ajuda na locomoção?!

Isso é mais comum do que se pensa (inclusive já aconteceu comigo!), por isso, o blog Mulher Especial veio através desse post colocar 15 dicas muito úteis para seu usado não virar um pesadelo.


AVALIANDO CARRO USADO


1 – REALIZE UMA PESQUISA DETALHADA

        Mesmo tendo a totalidade ou quase a totalidade do dinheiro para pagar não tenha pressa (na medida do possível), pois, muitas vezes “a pressa é inimiga da perfeição”. Segure um pouco sua empolgação e pesquise bastante antes de comprar. Lembre-se: você é o maior interessado para que tudo dê certo na compra; se algum vendedor te pressionar com alguma coisa, simplesmente não ligue! O importante é você estar seguro com o que está comprando!

2 – VALOR

        Tenho certeza que você já deve ter em mente o carro que está procurando ou senão, os possíveis carros. Assim, realize uma pesquisa de quanto é o valor médio daquele veículo. Para isso, existe no Brasil a Tabela Fipe, que significa Fundação Instituto de Pesquisa econômicas; ela expressa em Reais do mês/ano de referência os valores para parâmetros em negociações ou avaliações.
        A FIPE usa como avaliação para valores a região, estado no geral do carro, cor, acessórios ou outras coisas que possam influenciar as condições de compra e venda de um automóvel. Para consultar: http://veiculos.fipe.org.br/
        Realize a que você pesquisa e compare com o valor do carro que você está “de olho”. Se o valor estiver muito abaixo do mercado, alguma coisa pode ter de errado ou se ele estiver muito acima pechinche com o vendedor.

VOCÊ JÁ PENSOU NO QUE FAZER PARA DIRIGIR MELHOR E/OU PERDER O MEDO DE DIRIGIR? VEJA: DIREÇÃO PRÁTICA

3 – LUGAR ONDE COMPRAR

        O lugar mais indicado por especialistas é em concessionárias, pois, elas têm um nome a zelar e buscam filtrar certos tipos de carros que podem apresentar problemas. Contudo, a gente sabe que nesses lugares os veículos costumam ser mais caros.
        Outros lugares são lojas de carros ou locadoras. Esses lugares oferecem 90 dias de garantia para vícios em geral do veículo (não só motor e câmbio) assegurados pelo Código de Defesa do Consumidor. Mas, elas costumam vender carros com grandes quilometragens ou que já passaram por um número alto de pessoas, o que prejudica a vida útil das peças e/ou o cuidado com equipamentos.

        Hoje em dia é muito comum as pessoas venderem seus carros sem intermediadores, principalmente com a facilidade da propaganda via internet. Geralmente os carros nessas circunstâncias ficam mais baratos do que nas situações anteriores, porém, na maioria das vezes a pessoa precisa ter o dinheiro à vista. Além disso, alguns cuidados necessários devem ser tomados:
  • Busque em sites com credibilidade maior na internet.
  • Ao agendar com uma pessoa para avaliar o automóvel, nunca marque na sua casa. Para sua maior segurança contra assaltos e golpes, agende em um local público e com circulação constante de gente.
  • Se for realmente comprar, ambos (comprador e vendedor) devem fazer os procedimentos juntos de transferência do valor e de registro de venda (compra e venda do veículo) no cartório.
  •  Tire uma cópia autenticada do documento registrado firma.

 Uma dica bem legal é comprar de um amigo. Se um conhecido seu estiver vendendo o seu automóvel, una o útil ao agradável, pois, no geral você conhece o histórico do carro e se der algum problema é muito mais fácil de entrar em um acordo.

4 – FAÇA UM TEST-DRIVE

        Você deve estar pensando: test-drive em um carro usado? Tenha sempre em mente que você é o cliente, por isso, solicite para dar uma voltinha básica no carro. De preferência você deve ser o motorista e faça um percurso que pegue umas ruas com aclives e declives. Com isso pode-se observar se o volante está alinhado, se o carro faz algum barulho diferenciado e se o motor não apresenta falhas ou se está “fraco” ou “acelerado” demais.

5 – PEÇA A AJUDA DE UM MECÂNICO DE SUA CONFIANÇA

        Por experiência própria: não adianta nada você ir avaliar o carro e imaginar que somente com uma olhadinha no motor, sem ser realmente um mecânico você vai conseguir avaliar possíveis problemas!
           Peça para um mecânico de sua confiança te acompanhar para avaliar o carro ou marque com o vendedor próximo da oficina que você conhece.
      Válvula batendo, radiador entupido ou uma peça colocada inapropriadamente (dentre outras) podem passar desapercebidos por pessoas leigas no assunto e que podem ocasionar sérios problemas futuros.



6 – OLHE MINUCIOSAMENTE O EXTERNO DO CARRO

        Carros batidos costumam causar avarias que podem desvalorizar bastante o valor, pois, podem apresentar muitos problemas futuros.
        Para olhar minuciosamente se existem avarias o indicado é que o veículo seja observado de dia (devido a claridade) e limpo.
        Observe se existem indiferenças nas simetrias do para-choques, entre as portas e o capô. Amassados e ondulações são sinais de que pelo menos pequenas batidas aconteceram.
        Na dúvida de algum dano mais severo, não custa procurar a ajuda de lugares que realizam vistorias automotivas.

7 – OBSERVE PONTOS DENTRO DO CARRO E OS BANCOS

        Muitos pontos dentro do carro denunciam a idade real do veículo e os cuidados que o dono atual tem.
        Por exemplo: volante, manopla de câmbio e os bancos costumam se deteriorar com o suor e a exposição ao sol, mesmo se forem de couro.
      Infelizmente muitas pessoas usam de má fé para modificaram a quilometragem real, por isso, observe tais pontos e veja a situação. Se o veículo apresentar baixa quilometragem e muito desgaste nessas partes desconfie.

8 – PORTA MALAS E CAPÔ

        Nesses lugares estão os pontos fracos de quem deseja enganar o comprador, porque, é possível observar neles sinais de que a pintura foi modificada (geralmente por batidas). Assim, abra o porta-malas e levante o tapete, se a pintura estiver diferente questione. Da mesma forma você pode avaliar os parafusos que juntam peças da carroceria ao monobloco na frente. Cor diferente sinal de avaria já ocasionada.

QUER PERDER DEFINITIVAMENTE O MEDO DE DIRIGIR? COMO VENCER O MEDO DE DIRIGIR

9 – PNEUS

        Os pneus também são itens essenciais para checagem na avaliação de um usado. Engana-se você em pensar que o carro só está bom se os pneus estiverem novos. Tudo depende da quilometragem rodada. Se um veículo possui muita quilometragem e os pneus estiverem novos das duas uma coisa: ou os pneus foram trocados recentemente (para isso tente pedir algum comprovante) ou o hodômetro pode ter sido alterado.
        Para isso faça uma conta simples: um jogo de pneus dura entre 40 mil a 50 mil km. Então, com base nisso, se um automóvel tem 30 mil km rodados e os pneus estão bem gastos, desconfie de uma possível adulteração.

10 – CHASSIS

        Infelizmente, existem muitos fraudadores no mercado. Por isso, quando for comprar um carro veja os números dos chassis, pois, muitas pessoas fraudam a numeração de veículos roubados para serem repassados a novos donos.
        A numeração fica em relevo no motor e no assoalho do carro. Compare com as que costumam ficar no vidro. Se algum deles não bater, anote a placa e discretamente chame a polícia.


11 – PEDAIS

        Pedais? Como assim os pedais? Você deve estar pensando...
     Sim, os pedais também podem denunciar se houve algum tipo de adulteração no hodômetro, pois, quase ninguém se preocupa em colocar pedais novos com o tempo; portanto, eles apresentam sempre marcas de uso, como ranhuras nas borrachas.

12 – EQUIPAMENTOS

        Quem não gosta de uma direção molinha, aquele ar fresquinho no calor e ouvir um bom som enquanto dirigi. Os equipamentos costumam deixar os veículos mais valorizados e hoje são inúmeras coisas que podem facilitar a vida do motorista, como a direção hidráulica, ar-condicionado, DVD player, câmera de ré, alarme, vidros e travas elétricas dentre outros.
        Mas, busque a procedência desses equipamentos: se já vieram de série ou se foram instalados depois.
        Os de série costumam aumentar mais o valor. Se foram instalados depois, observe com detalhes como está a colocação do equipamento, pois, o barato pode sair caro.

        Vou dar um exemplo de um conhecido meu: ele estava todo alegre que comprou um carro com já alguns equipamentos, contudo, com apenas alguns dias de uso começou a perceber que os equipamentos que ele achou que iria lhe trazer mais facilidade e conforto, começaram a prejudicar o funcionamento elétrico do carro devido a uma má instalação. Concluindo: ele gastou mais ainda para tirar esses equipamentos e arrumar o estrago feito.

13 – CONSULTE SE EXISTEM PENDÊNCIAS E MULTAS DO VEÍCULO

        No site do DETRAN do seu estado você pode consultar toda a vida jurídica de um automóvel, como pendências e multas. Portanto, para realizar uma compra, consulte antes no site se o carro não possui nada que possa te dar problemas financeiros e “dores de cabeça” futuras.
        Para isso, pegue o número do Renavam que se encontra no documento de licenciamento e a placa do veículo e acesse o site do Detran da sua região, como por exemplo o de São Paulo: http://www.detran.sp.gov.br/

14 – PAGUE À VISTA

       O indicado sempre é pagar à vista, principalmente em tempos de recessão. Quando um veículo é financiado juros altos estão envolvidos nas parcelas e no final das contas um carro acaba saindo quase três vezes mais o seu valor.

15 – SE PRECISAR, SAIA DA CIDADE

        Você procura, procura, procura e nada de achar um carro com preço justo e que satisfaça os seus gostos na sua cidade?!
        Então, se precisar, saia da sua cidade e procure em outras. Pesquise na internet para você ter uma noção e se gostou de algum, marque um encontro para avaliação.

        Ter um carro é um sonho de consumo para a maioria das pessoas! Na realidade, hoje se torna essencial na vida de muitas...
        Porém, esse sonho pode virar um grande pesadelo dependendo da sua compra.
        Assim, quando for comprar, se atente para essas dicas que elas te ajudarão bastante (já falei: prova de quem passou por isso) e além disso, procure seguir o seu coração.
         Uma ótima compra então!!!

        Está de carro novo?! Agora escute para relaxar – Podcasts: você precisa ouvir isso!

Postar um comentário

Blogger